.

Edição 217

Carnaval, sinônimo de nudez. Errado. Quem explica é o pesquisador Marcelo O´Reilly,  editor do Portal Academia do Samba (www.academiadosamba.com.br), uma espécie de museu virtual do Carnaval. Para os pessimistas, Marcelo manda um recado e diz que a folia está bem longe de acabar. Nesta edição, a relação dos figurinos do Carnaval com a moda. Prepare-se, esta semana você vai ver muita mulher bonita aqui na coluna, mas todas bem cobertas desfilando na Passarela do Samba.
Fora de moda – Sair sem roupa no Carnaval está totalmente fora de moda, acredite, se quiser. O pesquisador Marcelo O´Reilly, que desde a década de 70 acompanha os desfiles pelo Brasil e pelo mundo, afirma que mulher que sai desnuda no Carnaval quer se promover. Pergunto a Marcelo por que as pessoas associam, então, o Carnaval à nudez e à saliência. Segundo o pesquisador, há quem diga que o Carnaval teria mais de 6 mil anos. Até o século VIII, eram realizados bacanais na época do Carnaval, portanto, a festa povoa o imaginário popular como sinônimo de subversão da ordem natural das coisas.
Marcelo O'Reilly em defesa do Carnaval
Fora de propósito – Todos os anos, as rainhas de bateria são aguardadas ansiosamente na avenida, mas pode observar, todas aparecem cobertas na Sapucaí. Segundo Marcelo, por já serem mulheres famosas, como Natália Guimarães, Grazi Massafera e Luiza Brunet, não precisariam da nudez para autopromoção. Os componentes das escolas aparecem cada vez mais cobertos nos desfiles, com fantasias pesadas e calorentas. De acordo com Marcelo, o aporte financeiro concedido às escolas torna-se sinônimo de sofisticação. Ele explica ainda que uma mesma fantasia pode conter 3 ou 4 informações diferentes, e que a fantasia deve ter criatividade, adequação ao tema e bom acabamento, com isso a nudez estaria totalmente fora de propósito. Quanto aos gastos com cada fantasia, o editor do Portal revela que as escolas aumentam os valores, devido à vaidade dos sambistas.
Fotos: Marcelo O'Reilly
Gracyanne Barbosa, Natália Guimarães e Viviane Araújo
Fora do ranking – Na classificação final do Carnaval 2008, a Viradouro tanto polemizou que acabou em 7º lugar. Marcelo esclarece que o Carnaval é uma festa alegre e afirma que o espetáculo que o carnavalesco Paulo Barros apresenta na avenida não é Carnaval, mais parecendo um teatro ou um espetáculo da Broadway. O pesquisador diz que a escola de samba conta uma história e deve contar bem esta história, o que teria faltado, segundo Marcelo, no desfile da Viradouro, idealizado por Paulo Barros.
Fora de cogitação – Duas frases que ouvimos todos os anos são: “Carnaval é muito tumulto” e “O Carnaval acabou”. Segundo Marcelo O`Reilly, não existe tumulto no Carnaval. As escolas, explica ele, tem tempo, regulamento e obrigatoriedades, desta forma não há espaço para tumulto. As escolas, diz Marcelo, procuram perseguir a perfeição nos quesitos. Sobre o término do Carnaval, Marcelo conta que, em 1920, o assunto foi manchete nos jornais, porém, não se concretizou até os dias de hoje. E o segredo da Beija-Flor, hein, Marcelo? Fazer bem a lição de casa. O segredo são os ensaios, treinar exaustivamente, informa o pesquisador.

Terça-feira é o dia de nosso encontro marcado. Tchau, e até lá, com muita alegria e alto astral!
E-mails para esta coluna: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Estamos on line no messenger em: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Colaboração:
Maria Contreras e Paula Leite (de Brasília)
Virgil  Christine (da França)

 

 

Leia também as outras edições

.

Sobre Flávia

flávia-new siteFlávia Vasconcellos já viu reis e rainhas, é jornalista, editora-chefe e colunista do site Falando de Moda.
Saiba mais...

Parceiros

banneratalhocultura120