.

Edição 122

O padre condenou, o doutor não gostou, o japonês aprovou, o vendedor usou e o gerente abusou. Os cariocas andam tão vaidosos que esta colunista fez questão de sair a campo para entendê-los melhor. Nesta edição, você vai conhecer homens que pintam as unhas, têm hábitos e comportamentos masculinos e garantem: com suas mãos extremamente bem cuidadas se tornaram os conquistadores do século XXI.
O gerente técnico – Marcelo Benício de Melo começou nossa entrevista com ares superiores. Perguntei se as garotas aprovam o visual “homem de unhas pintadas”. Categórico, Benício afirmou: Não diga aprovam em sua reportagem, diga adoram. E completou: A maioria das garotas com quem saio ADORA. Tachou os brasileiros de mente fechada, disse que mesmo em grandes centros como Rio de Janeiro e São Paulo, ainda existem pessoas retrógradas. Benício não tem vergonha em dizer que é vaidoso, faz as unhas semanalmente em um salão de shopping, e paga R$7,00 pelo serviço. Revela ter desconto, pois é cliente assíduo do local. Normalmente, pinta as unhas apenas com base transparente, mas o estilo francesinha e outras cores ainda mais chamativas são também admissíveis para um homem, na opinião do gerente técnico de uma loja de informática. Para finalizar, Benício decreta: Pintar a unha deixa o homem ainda mais masculino.
O padre – Se Benício aprova o homem com unhas pintadas, o padre desaprova. Dom Anselmo Chagas de Paiva é monge e sacerdote do Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro. O padre intelectual, que já concluiu seu curso de doutoramento, é tradicional no quesito vaidade. Dom Anselmo acha feio homem com unhas pintadas. Pensa que elas devem ser bem tratadas, cortadas regularmente e limpas, mas não com base ou outra cor. Perguntei ainda se já havia visto algum colega padre com as unhas pintadas. O monge respondeu que não. E daí me pergunto: será que nem o padre Pinto, da Bahia, passa uma base de vez em quando?
O médico – O endocrinologista que cuida da saúde e da beleza de muitas famosas diz que homem nunca deve ter as unhas pintadas. Luciano Negreiros defende, no entanto, a retirada das cutículas e cuidados como cortar e lixar. Pede desculpas pela sinceridade e afirma que esmalte em homem é coisa de bicheiro.
O psicanalista – Outro médico, o psiquiatra e psicanalista Luiz Alberto Py, não condena nem aprova os homens que gostam de pintar as unhas. Disse que já viveu bastante para ver qualquer coisa virar moda, e que, se no começo dos anos 60, alguém dissesse que daqui a 10 anos 90 por cento dos homens usaria cabelo comprido, seria internado como lunático. Não duvida de que a alguns anos ele próprio esteja usando unhas coloridas, mas acha improvável. Py, que acaba de lançar o livro Saber Amar e é expert nos mistérios da alma, explica que masculinidade não tem nada a ver com pintar, ou não, as unhas.
O vendedor – Simões Júnior é colega de Marcelo Benício na loja de informática. Conserta computadores diariamente e não tem pena de colocar suas unhas enfeitadas de base no maquinário. Com apenas 21 anos de idade, o vendedor traz na ponta da língua o perfil das mulheres que gostam de homens com unhas pintadas e o das que não gostam. Segundo Simões, as intelectuais e as vaidosas são as que gostam. Já as cachorras (gíria usada no funk carioca), são as que não apreciam.
O japonês – O estudante Breno Watanabe diz que nunca viu o avô japonês de unhas pintadas, mas considera o hábito higiênico e afirma que garante uma boa aparência. Costuma passar base nas unhas e acredita que as mulheres gostam de homens vaidosos sem exageros. Quanto à utilização de cores nas unhas masculinas, Breno considera um pouco exótico, porém não tem preconceito em relação ao assunto.
O promotor de eventos – Na hora de fechar um contrato para a realização de um casamento,  Marco Fontes conta que sua empresa foi a preferida justamente porque ele estava com as unhas pintadas. A mãe da noiva teria dito: Vou fechar negócio com você por causa de suas unhas bem cuidadas. Nos eventos que Marco organiza, todos os garçons têm as unhas pintadas. O promotor freqüenta um salão de shopping e paga R$12,00 por semana para exibir suas unhas com esmalte da cor Rendada com base por cima. Isso mesmo: Marco me ensinou até a combinação das cores que usa.  Sobre as namoradas, diz que todas eram fãs de suas unhas bem cuidadas e que, quando aparecia diante delas sem esmalte, elas próprias tratavam de fazer suas unhas. Que mordomia, hein? O organizador de eventos garante que não é uma unha pintada que vai tirar a masculinidade de um homem.
Esta colunista acompanhada pelo time de cariocas de unhas pintadas
O militar – Rafael Teixeira é oficial da Marinha do Brasil e diz que em seu trabalho nenhum homem usa as unhas pintadas. Revela que nunca fez as unhas no salão, e que acha o novo hábito masculino estranho. Para os confiantes de que estão abalando com a moda, Rafael avisa: As mulheres não se sentem atraídas por homens que pintam as unhas. Os modernos não estão ganhando ponto com as mulheres.
O empresário – Murilo Pinheiro considera os hábitos de pintar as unhas e usar salto alto tipicamente femininos. Não costuma fazer as unhas, todavia, pensa que, se um homem gosta, deve pintá-las, por que não? Aprecia quando vê mulheres com as unhas bem cuidadas.

Colaboração:
Maria Contreras e Paula Leite (de Brasília)
Virgil Christine (da França)

 

 

Leia também as outras edições

.

Sobre Flávia

flávia-new siteFlávia Vasconcellos já viu reis e rainhas, é jornalista, editora-chefe e colunista do site Falando de Moda.
Saiba mais...

Parceiros

banneratalhocultura120