.

Edição 66

Perfume de mulher – Esta edição da coluna começa mais perfumada, está sentindo? Hoje, há um clima feminino no ar, pois 8 de março é o Dia Internacional da Mulher. Parabéns a todas as leitoras e aos leitores também, pois garanto que nossa vida é mais doce, viva e interessante com a presença de vocês, homens. A coluna presta homenagem a uma mulher que apostou no amor, é totalmente realizada e melhor...não tem queixas da vida. Onde você foi buscar esta jóia rara, Vasconcellos? Em Ceilândia, cidade-satélite de Brasília. Elisângela Alves de Figueiredo tem 25 anos, casou-se aos 16, tem 2 filhas, uma de 4 anos e outra de 2. Esclarecendo: Elisângela não casou grávida, só foi ter a primeira filha cinco anos depois de sua união com o atual e único marido. Confesso que me impressionei com a história da homenageada, ainda não conheci ninguém (de minha geração) que tenha se casado aos 16 anos e quase 10 anos depois ainda esteja com o mesmo marido. Elisângela é estudante de pedagogia, trabalha como bibliotecária em uma faculdade do Distrito Federal e manda um recado às mulheres que estão quase desistindo do amor: “Devemos confiar em Deus, pois só Ele sabe das nossas necessidades. Ele é muito misericordioso e sempre nos dá além do que pedimos e merecemos”. Questionada sobre seu maior sonho, respondeu: “O meu maior sonho...nem sei...minha vida é tão completa”.
Fotos: Arquivo Pessoal
Oscar 2005, que engraçado! – Ana María Montero é apresentadora do canal de TV a cabo CNN en español. Todo ano, o tapete vermelho, por onde passam as celebridades, deve provocar cócegas em Ana María. A apresentadora se esbalda durante as entrevistas que faz. Por exemplo, diz ela: “Acaba de chegar Penélope Cruz, hahahahahahahahahahahahahahahaha”. Quando a atriz ou o ator se aproximam da apresentadora, mais risos, coloca o microfone na boca do entrevistado e antes de formular uma pergunta, nova seqüência de risadas. O que será que será que Ana María acha tão engraçado na festa do Oscar?
Oscar 2005, que excitação! – No Carnaval, a tônica das entrevistas girava em torno do humor dos entrevistados, a todas as personalidades momescas, os canais de TV dirigiam a mesma pergunta: “Tudo beiin?”. Pronunciando a palavra “bem” como se tivesse um “i”, dá a impressão de que as coisas realmente estão beiinn. No Oscar, os repórteres posicionados no tapete vermelho foram ainda mais longe do que aqueles que cobriram o Carnaval. Perguntavam aos artistas: “Are you excited? ( Está animado para a festa?) Obviamente, as personalidades do cinema respondiam que estavam excitadíssimas para o início do festa. O casal Annette Bening e Warren Beatty foi um dos que declararam sua alegria e excitação por estarem presentes à festa.
Oscar 2005, que transformação! – Pela segunda vez, ela apareceu feia na festa. Scarlett Johansson sempre vem com cara de patinho feio, o pior é que ela é linda sem o look Oscar. O que será que será que o personal stylist da atriz idealiza para o dia da festa do cinema? É muita maldade enfear a bela e jovem atriz.
Oscar 2005, que aparição! – Durante o Fashion Rio, foi-nos advertido: Gisele não responderá a perguntas sobre sua vida pessoal. Nenhum jornalista podia perguntar a quantas andava o namoro com o ator Leonardo DiCaprio. Depois de aparecer para o mundo ao lado do ator, espero que na próxima vinda da modelo ao Brasil, possamos perguntar: “E Leo, como vai?” Sobre o vestido da bela, houve quem elogiasse e quem alfinetasse. Fico na coluna do meio.
Oscar 2005, que nocaute! – Antes de esta edição ir ao ar, já começaram a chegar os e-mails para a coluna com comentários sobre a festa do Oscar. A leitora Amanda Brito disse que detestou, perdão Amanda, mas eu adorei. O vestido de Hilary Swank nocauteou (como seu personagem em Menina de Ouro) as outras atrizes. Hilary não é propriamente uma mulher bonita, mas no dia da premiação estava com um ar de Evita Perón, ou como os cariocas dizem: “Estou podendo”.
Oscar 2005, que competência! – A cantora Beyoncé fez bonito no Oscar 2005. Deu sumiço no seu look de funkeira popozuda posando de superstar. Usou vários looks, todos glamourosos e provou ao mundo que sabe cantar, não apenas rebolar. Foi a escolhida para interpretar as músicas que concorriam ao prêmio de melhor canção original.
Oscar 2005, que amarelão! – Cate Blanchett é bonita, talentosa, esforçada, pena não ter aprendido a lição: a cor amarelo não é para louras.

Na semana que vem, você vai conhecer uma nova maneira de aprender idiomas. E ainda...um lugar onde morena não entra. Terça-feira é o dia de nosso encontro marcado. Tchau e até lá!
E-mails para esta coluna: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Colaboração:
Maria Contreras e Paula Leite (de Brasília)
Virgil Christine (da França)

 

 

Leia também as outras edições

.

Sobre Flávia

flávia-new siteFlávia Vasconcellos já viu reis e rainhas, é jornalista, editora-chefe e colunista do site Falando de Moda.
Saiba mais...

Parceiros

banneratalhocultura120