.

Edição 63

Caça às bruxas – Começamos esta edição falando de liquidações. Tenho um conhecido que diz detestar comprar em liquidação, considera as lojas muito cheias, tumultuadas na época das promoções. Basta vislumbrar a palavra “liquidação” na vitrine para ele não entrar na loja. Este amigo é peça única de coleção, pois ainda não conheci outra pessoa que desgoste de receber descontos nas compras. Bem, para os amantes da moda, liquidação é evento esperado durante todo o ano. Mas, você sabia que algumas lojas simplesmente não fazem promoções? É o caso da grife francesa de bolsas, roupas e acessórios Louis Vuitton. Quando a coleção está mudando, as peças, que passam a ser consideradas antigas, são queimadas, aquelas bolsas chiquérrimas vão parar direto na fogueira. E por que será que eles não fazem a fogueira no quintal de nossas casas, desta forma, quem sabe, salvaríamos algum exemplar.

Moda, beleza e Carnaval – Palavras que se tornaram cada vez mais próximas. No Sambódromo carioca, de uns anos para cá, empresas ligadas à beleza montam estandes para as beldades ficarem ainda mais produzidas. Este ano, foi a vez da rede de salões Walter´s marcar presença na passarela do samba. O salão tem 14 lojas no Rio e durante os dias de Carnaval era possível fazer maquiagem e penteados no Sambódromo a custo zero para as foliãs. A máquina de unhas, sucesso recém-chegado ao Brasil, também estava lá. O público fazia fila para imprimir a logomarca das escolas de samba nas unhas.

Fotos: Marcelo O'Reilly
Foto: Marcelo O'Reilly
Moda, beleza e Carnaval 2 – A escola Mocidade Independente de Padre Miguel prestou uma homenagem à moda em seu desfile. O estilista das grifes Forum e Triton, Tufi Duek, foi destaque em um dos carros da escola. Além de Tufi, o carro contou com a presença de nossas top models. Mas, no final do desfile da Mocidade, na chamada dispersão do Sambódromo, as modelos foram vaiadas aos gritos de “Magrelas, voltem para a Europa”. Outra curiosidade: algumas das tops que foram destaque no carro da Mocidade ficaram excitadas, digamos assim, com a novidade, ou seja, desfilar na passarela do samba. Com o nervosismo, surge a vontade de fazer xixi. Resultado: tinha modelo se fazendo de paredão antes do desfile para a colega fazer xixi na concentração sem virar alvo dos fotógrafos.

Moda no umbigo – Luma de Oliveira criou a coleira para homenagear o ex-marido. Viviane Araújo criou o piercing. A modelo desfilou no Rio com um piercing no umbigo formando a palavra “Belo”, nome de seu eterno namorado. Já Luma, que criou a coleira, desta vez, trouxe um par de algemas afirmando que seria homenagem a alguém “querido”. O querido, a que Luma se refere, pode ser o novo dono do coração da moça, um policial carioca.

Fotos: Marcelo O'Reilly

Olha ela aí, gente! – A modelo inglesa Naomi Campbell disse repetidas vezes na última edição do Fashion Rio: - “I love Rio”. Eis a prova do amor de Naomi pela Cidade Maravilhosa. Veja a empolgação e a alegria de Naomi desfilando pela Portela.

Fotos: AFP e Reuters
Cadê você, eu vim aqui só pra te ver – O prefeito do Rio, César Maia, que em anos anteriores chegou a varrer a passarela do samba para as escolas fazerem sua evolução, este ano não fez nenhuma incursão ao Sambódromo. Cadê você, prefeito? Os jornais diziam que o afastamento foi causado por um problema na coluna. Diziam também que foi uma promessa de campanha, que se ganhasse a eleição não iria ao Sambódromo. O prefeito pode não ter participado do Carnaval/2005, mas mandou representante. Veja as homenagens ao prefeito César Maia.
Fotos: Marcelo O'Reilly
Samba é cultura – “O Carnaval é sempre a mesma coisa”, foi a frase que ouvi de um taxista no domingo de Carnaval. Cearense e simpático, o taxista se enganou em sua afirmação categórica. Não sou aficcionada por Carnaval, mas reconheço a grandiosidade da festa e tudo o que a envolve. O samba, marginalizado no passado, hoje gera divisas para o país e ainda é cultura. Já pensou em estudar Português através de letras de samba? O professor Julio Cesar Farias teve a idéia. Acaba de lançar o livro “Aprendendo Português com samba-enredo”, Editora Litteris. O livro é composto de várias letras de samba acompanhadas por exercícios que podem ser feitos em casa, ou melhor ainda, em sala de aula junto com o professor.
Samba é cultura 2 – Os argentinos chamam as escolas de samba de comparsas.
Carnavalão, definitivamente, não é um cavalo grande – O Carnavalão não é novidade no Carnaval carioca, é figura presente na folia há anos, mas ninguém havia prestado atenção nele até agora. Pobre, patinho feio...A colunista foi a primeira jornalista a notá-lo. E afinal, Vasconcellos, o que é esse tal de Carnavalão, diz logo! Fim do mistério: o Carnavalão é uma espécie de manual de instrução. Distribuído pela coordenação de Comunicação Social da RIOTUR aos jornalistas que cobrem o Carnaval, a apostila traz informações sobre a ordem dos desfiles de todas as escolas de samba cariocas, do grupo especial ao grupo E, listagem das escolas vencedoras desde 1950, os bailes populares, telefones úteis, etc. Depois de ler a edição completa do Carnavalão, seu Carnaval nunca mais será igual àquele que passou...

Aos cinéfilos de plantão – Ray” não chega a ser um virtuosismo de filme. Não há planos geniais de câmera nem tampouco um roteiro magnífico, enfim, nada que chegue a impressionar um cinéfilo. Entretanto, a vida de Ray Charles já basta para compensar a ida ao cinema. O cantor teve uma trajetória, de fato, cinematográfica. A infância miserável, a cegueira, o talento musical, as drogas, os amores, a conquista do mundo. Para completar, a interpretação de Jamie Foxx, que vive o cantor, é magistral.

Léxico – No dia em que fui assistir ao filme “Ray”, deparei-me com um reencontro de velhos amigos no hall do cinema. O amigo, ao ver a amiga, disse em alto e bom som: “- E aí, Palhaça?! A amiga parece ter gostado do que ouviu, pois deu-lhe um forte abraço. Notei o quanto estes amigos estavam entrosados, falavam de cinema e de outras amenidades. Fato é que me pergunto se gostaria de encontrar um velho amigo e ser chamada de “palhaça”, mas descobri que há quem goste ou, até mesmo, adore.

Na semana que vem, você vai conhecer o espelho da verdade. Que cara teremos daqui a cinco anos? Acabo de lembrar que justamente em 2010, portanto, daqui a cinco anos, completarei 40 anos de idade, estou doida para me olhar neste espelho. Garanto que você também. O espelho espelho meu futurístico será um dos temas da próxima edição. Tchau e até lá!
E-mails para esta coluna: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Colaboração:
Maria Contreras e Paula Leite (de Brasília)
Virgil Christine (da França)

 

 

Leia também as outras edições

.

Sobre Flávia

flávia-new siteFlávia Vasconcellos já viu reis e rainhas, é jornalista, editora-chefe e colunista do site Falando de Moda.
Saiba mais...

Parceiros

banneratalhocultura120