.

Edição 59

O início – Em véspera de Fashion Rio, o clima na cidade se altera. Começa uma espécie de frisson no ar, os amigos se telefonam, você vai, ganhou convite? Esses se tornam os temas mais recorrentes das conversas. E não é à toa, para quem diz que moda é só futilidade, os números mostram o contrário. A toda-poderosa diretora-geral do Fashion Rio, Eloysa Simão, destaca um crescimento de 20 por cento a cada edição da semana de moda carioca. Na foto, esta colunista e a fotógrafa Amanda Brito sendo clicadas minutos antes do início da coletiva de abertura do Fashion Rio.
Os brindes, os encontros, a confraternização – O Fashion Rio é um evento de moda, todos sabem, mas há também um outro lado, aliás alguns “outros lados da moeda”. É também um evento em que ocorrem muitas disputas, basta saber que em algum lugar estão distribuindo brindes e todos querem. (Ainda não conheci uma pessoa que tenha esnobado os brindes do Fashion Rio, se você conhecer uma, por favor informe a Colunista). Diz logo, Vasconcellos, quais eram os brindes desta edição? A organização do evento distribuiu bolsas vermelhas e muito práticas para os jornalistas. Na foto, esta colunista, o também colunista Ismaelino Pinto, do jornal O Liberal, de Belém do Pará, e suas respectivas bolsas. E o que mais estavam distribuindo, Vasconcellos, apenas bolsas? Não, caro leitor. A hora era de inovar, e foi a grife Philippe Martin a campeã neste quesito: inovação dos brindes. A grife distribuiu um abajur vestido com uma calça jeans da marca, mais original, impossível. O abajur ganhou destaque nas colunas dos jornais cariocas e faturou o título de “o mais disputado brinde do Fashion Rio”. Você ganhou o seu, Vasconcellos? Já está em cima do criado-mudo, eis a resposta.
Foto: Amanda Brito
Foto: Marcelo O'Reilly

A polêmica – Dias antes do início da semana de moda carioca, um e-mail circula nas redações. Gisele Bündchen vai desfilar no Fashion Rio e dará uma entrevista coletiva, na qual falará por apenas 10 minutos. Todo mundo chiou, os prometidos minutos contados de Gisele viraram assunto nas colunas. Outro tema das colunas: o que perguntar à Gisele Bündchen em 10 minutos? Muitos optaram por ficar calados. “Ah, não vou perguntar nada, diziam alguns jornalistas”. Para completar, a assessoria de imprensa da grife para a qual Gisele desfilaria avisa: “Ela não falará sobre a vida pessoal”. Ihh, aumenta, então, a falta de assunto entre muitos, que decretaram: definitivamente, não há nada a perguntar. Recorri, então, à veterana colega de profissão, a jornalista Leda Nagle. Questiono se há, ou não, pergunta para fazer em 10 minutos para um entrevistado e, no caso de Gisele, que pergunta fazer, afinal. Leda nos dá uma “aula de comunicação” e ensina: “- Se você só tem 10 minutos, seja objetivo, pergunte para Gisele - “Você é linda, loura, rica e maravilhosa, o que espera do futuro?”. Na entrevista coletiva, Gisele acabou respondendo à pergunta antes formulada por Leda.
Foto: Ana Cláudia Moscoso
Pausa para retocar a maquiagem – Engana-se quem imagina que o Fashion Rio é só glamour. Encontro a colega de Brasília, a jornalista Juliana Moreira Lima, do Correio Braziliense, que diz: “- Estou cansada, estou aqui desde a manhã”. (já eram 11 horas da noite).  É necessário fazermos uma pausa em alguns momentos da jornada para tomar uma água, fazer um lanche e cuidar também da beleza. Na foto, esta colunista aos cuidados da maquiadora Léo, da Lancôme.
Fotos: Ana Cláudia Moscoso
Quero comida ! – Estaria mentindo se dissesse que modelos, jornalistas e convidados passam fome no Fashion Rio. Na linguagem dos modernos, rolam festinhas, os patrocinadores oferecem comidas e bebidas e por aí vai...E o qual era o cardápio, Vasconcellos? Tinha coxinha, pastel, cachorro-quente? Nada disso! As comidinhas, como são chamadas pelos chefs, são comidinhas, de fato. Tudo pequenininho, pouquinho, para não engordar. E os ingredientes? Bem, papoula, surubim, salmão, etc etc. Não gosto de nada disso, Vasconcellos!! Recorra, então, ao pipoqueiro. Olha a carrocinha aí, gente! Instalado estrategicamente na entrada principal do MAM, o Museu de Arte Moderna, onde foi realizado o Fashion Rio, o pipoqueiro virou notícia, houve quem dissesse que ele estava inflacionando o preço. Caro ou barato o produto, o pipoqueiro afirmava que muitas modelos visitavam sua carrocinha durante os dias de desfiles.
Foto: Marcelo O'Reilly
O empurra-empurra – Perguntei a um amigo, especialista em segurança, o que fazer para conter a multidão no início dos desfiles. Segundo ele, policiais acompanhados de cães seriam a solução. Nossa, que saída drástica! Os policiais não foram chamados, os cães tampouco, saldo final do Fashion Rio: uma unha da mão quebrada e o pé machucado por pisões e empurrões. Não adianta dizer que não, fazer um ar de quem não está nem aí, a verdade é: TODOS querem ver Naomi Campbell e Gisele Bündchen. Na entrevista coletiva com Naomi, após o empurra-empurra para chegar perto da bela, encontramos uma figura simpática. “Poderia se aproximar?”, pedem os fotógrafos. Naomi , toda sorrisos, avança um passo em direção aos fotógrafos. Nada era problema para a moça, que antes de estrelar o desfile da grife TNG, teve vontade de ir ao banheiro. As outras modelos já enfileiradas e Naomi tem porque tem que ir ao banheiro. Todavia, depois de se aliviar, digamos assim, Naomi é simpaticíssima, agradabilíssima, repetindo várias vezes a frase:
 “- I love Rio”, “Eu amo o Rio” e depois de declarar sua admiração pela Cidade Maravilhosa, elogia o figurino escolhido pelo estilista da grife para a qual desfilou, diz que a roupa a fez sentir-se mais jovem.
Fotos: Flávia Vasconcellos

O mais belo dentre todos – E já que o assunto é Naomi Campbell, a Coluna elege o desfile da TNG o melhor desta edição do Fashion Rio. A grife apresentou uma moda usável, nada daqueles modelitos que assustam, ou ainda, que ninguém na face da Terra usaria. Para as amantes da cor rosa, é hora de tranqüilizar-se, a cor vai continuar em alta no inverno. Nas fotos, você vê imagens do desfile da TNG com a presença da top model Naomi Campbell.
Fotos: Márcio Madeira
Capítulo à parte – A passagem de Gisele Bündchen pelo Rio neste início de 2005 foi um capítulo à parte na história da cidade. Que frisson, que bafafá, loucura, loucura, loucura, como costuma dizer o apresentador Luciano Huck. Na última noite do Fashion Rio, encontro um amigo que pergunta de cara: “- Você falou com a Gisele?”. Expliquei a ele que, no Fashion Rio, as pessoas não falam diretamente com a top model, entretanto Gisele concedeu uma entrevista coletiva que acabou durando o dobro dos 10 minutos previamente prometidos. A modelo se auto-define como uma pessoa boring (fez uso do inglês), que significa entediante. Talvez por isso, acredita, a imprensa invente tantas coisas a seu respeito, como, por exemplo, que ela seria a nova Bond Girl. Gisele negou e disse que tem apenas curiosidade quanto à carreira de atriz, quando questionada se pretendia ir mais fundo nesta área. (Gisele participou de um filme americano no ano passado).  Planos para o futuro? “- Não sou vidente”, responde enfática, mas revela que adora astrologia e tem cerca de 100 livros sobre o assunto. O lugar destinado para a leitura é o avião. Anuncia que não deve retornar ao Brasil para o Carnaval, falta-lhe tempo. A modelo diz que parece “uma galinha sem cabeça”, pois está sempre correndo de um lado para o outro. Tanta correria pode significar a chave do sucesso do físico de Gisele, que revelou comer carne quase que diariamente, como uma boa gaúcha. Senti Gisele tensa no início do desfile da Colcci. Minha intuição estava certa. A modelo contou que não faz mais muitos desfiles e, portanto, estava tremendo antes de entrar na passarela. E para quem costuma associar os cabelos louros à falta de inteligência ou de sensibilidade, Gisele mandou uma espécie de recado. Mostrou que está antenadíssima com o que acontece no mundo. No momento, organiza um evento que será realizado em fevereiro para levantar fundos para as vítimas do tsunami.
Fotos: Marcelo O'Reilly

Parabéns pra você – A Coluna parabeniza o excelente trabalho promovido pela empresa Mediação, que prestou assessoria de imprensa para o Fashion Business, evento paralelo ao Fashion Rio. Corretos, competentes e profissionais, os jornalistas da empresa faziam uma verdadeira mediação entre os interessados na bolsa de negócios de moda. Prestavam informações precisas aos colegas jornalistas e também aos visitantes, compradores e expositores do Fashion Business.

Fotos: Marcelo O'Reilly
Na próxima edição, você vai saber que para estar na moda é preciso calçar as sandálias da humildade, e ainda... a resposta para a pergunta que não quer calar: falar bem o Português está fora de moda? A resposta na terça-feira, dia de nosso encontro marcado. Tchau e até lá!

Colaboração:
Amanda Brito, Ana Cláudia Moscoso e Marcelo O'Reilly (especial para esta edição)
Maria Contreras e Paula Leite (de Brasília)
Virgil  Christine (da França)

 

 

Leia também as outras edições

.

Sobre Flávia

flávia-new siteFlávia Vasconcellos já viu reis e rainhas, é jornalista, editora-chefe e colunista do site Falando de Moda.
Saiba mais...

Parceiros

banneratalhocultura120